27.5.12

Perfeito Desconhecido - V


Umas semanas depois a minha vida desmoronou totalmente. O Josh disse-me que ia embora quando as aulas terminassem; a Inês namorava com o meu irmão mais velho, o Rafael; os meus país disseram que se iam divorciar numa conversa sem fim à minha frente e dos meus irmãos; o Rui odiava-os e passava os dias a chorar e a culpar toda a gente. De certa forma, foi tudo horrível e inesperado. Claro que eu gosto de ter o Josh cá, apesar de tudo. Claro que quero que a Inês seja feliz, mas com o meu irmão ? não sei, faz-me impressão, tem mais 2 anos que ela. E os meus pais ? nem comento. Sei que fui eu que "pedi" mas de certa forma magoa-me na mesma. E além disso o Rui vai superar isto, ele tem de o fazer, não há outra maneira. Dói ? dói, mas a vida é e será sempre amarga.
Liguei ao Josh e pedi-lhe que viesse ter comigo ao parque no centro da cidade. Estava um dia feio. Estava a chover e as ruas estavam vazias. Não se ouviam carros, nem bicicletas. Não se ouvia o tipico barulho das crianças a brincar no parque a pedir para ficar mais um pouquinho. As lojas estavam fechadas e não se ouviam qualquer passos, apenas sentia as gotas daquela chuva na minha cara e o ranger do portão ao entrar no parque, o Josh.

Josh: olá, como estás ? a tua voz no telemóvel estava diferente. - e nisto abraçou-me com uma força inexplicável.
Raquel: Estou mal, quer dizer. Tu vais embora, os meus país estão tratar do divórcio, a Inês com esta coisa toda do namoro nem se interessa de como estou, o Rui odeia toda a gente. Que mais pode acontecer ?
Josh: Podia ser pior, vais ver que tudo se vai resolver.
Raquel: Dizes isso porque tens tudo o que queres.
Josh: Sei que estás mal, mas eu não tenho culpa disso.
Raquel: Então não vás. Preciso de ti aqui.
Josh: sabes que não me podes pedir isso, o meu pai é que ...
Raquel: ...manda. sim já sei isso, não preciso que me relembres que ele manda em ti a cada minuto ok ? e tu não tens coragem de mudar isso. e sabes porque não tens ? porque tu gostas do que tens. gostas que ele mande em ti porque ganhas tudo num estalar de dedos.
Josh: chega Raquel. chega ok ? Achas que só é difícil a tua vida ? as coisas não são bem assim. Não és tu que perdeste uma mãe ok ? não és tu que és obrigada a ser o que o teu pai quer que sejas e se não fores, automaticamente o orgulho dele deixas de seres tu. não és a única que acordas de manhã a pensar onde não podes falhar e te deitas à noite cansada de tudo entendes ? e quem se importa com isso ? ninguém. quem quer saber ? ninguém. e será sempre assim por mais que eu me esforce. quantas pessoas querem saber quem eu sou por detrás disto ? -ele baixa a cabeça e fala mais baixo- não és tu que vais viver longe de quem mais amas.

E nisto, ouve uns momentos de silêncio horríveis e degradantes.

Raquel: Desculpa.
Josh: Tu não percebes, pois não ? é que não percebes mesmo. 

Saio do parque, pegou no capacete, entrou na mota e foi se embora. 
Eu não percebi o que ele quis dizer com isso e a caminho de casa, passei na loja de animais fechada e à porta estava uma caixa com um gatinho todo encharcado. Peguei nele e levei-o para casa dentro do meu cachecol.

Raquel: RUI ! ESTÁS EM CASA ?
Rui: diz.
Raquel: olha o que tenho aqui. - e mostrei-lhe o gatinho, ele pegou nele e sorriu para mim.
Rui: Como se chama ?
Raquel: Ahhhh, queres escolher comigo ?
Rui: Sim. Bartolomeu ?
Raquel: Tens a certeza ? ahaha
Rui: Sim.
Raquel: Tu lá sabes, ahah. Bartolomeu então.


(não encontrei foto melhor, desculpem)

Sem comentários:

Enviar um comentário